ARTE

10a Mostra 3M de Arte / 2020

Localização: São Paulo, SP, Brasil
Ano: 2020
Equipe: Julia Reis, Lucas Bueno e Gustavo Torrezan

Tombada, como quem perde o equilíbrio, a escultura proposta é conformada por uma estrutura típica, similar aos brinquedos popularmente conhecidos como “joão bobo”, cuja base de apoio é pensada para que o objeto permaneça constantemente em pé. Na parte superior, percebem-se quatro bandeiras brancas que pendem rumo ao chão. Na parte inferior, forma-se, através de uma estruturação de aço, uma base esférica que remete a metade sul global. Fazendo alusão a um gesto que provocou a queda da estrutura, a peça anuncia sua perda de estabilidade.

Uma bandeira branca pode representar paz entre sujeitos, territórios e instituições ou ainda, se hasteada em meio a uma batalha, pode decretar seu fim ou o rendimento auferido contra um poder maior. Em menção às desordens contemporâneas, o trabalho sugere a importância do diálogo geopolítico no contexto atual. Além do mais, se o verbo “aprumar” denota à tentativa de alinhamento, ao esforço em se buscar o modo direito e ordenado de organizar as coisas, então o título do trabalho nos indica uma demanda por algum tipo de correção, um pedido de trégua ou uma reivindicação de paz passível de contribuir com a estabilidade da esfera, sua compensação e equilíbrio.

PLANTA DE SITUAÇÃO                                                                 

De modo geral, esse campo de vicissitudes onde se estabelece disputas e onde se forma a ideia do comum, da utopia e da distopia, dos poderes e das subjetividades, vem constituindo o interesse do artista em suas pesquisas, tanto em trabalhos anteriores como aqueles mais recentes.

CROQUIS DE GUSTAVO TORREZAN